Fibra ótica torna-se principal forma de acesso a TV por subscrição

A fibra ótica (FTTH/B) passou a ser a principal forma de acesso ao serviço de distribuição de sinais de televisão por subscrição no primeiro semestre, alcançando 1,47 milhões de assinantes, 38,2% do total. Segue-se o cabo, que tem 1,34 milhões de assinantes ou 34,9% do total, e o satélite (DTH), com 13,6% dos clientes. O ADSL passou a ser utilizado apenas por 13,4% dos clientes. As ofertas suportadas em FTTH/B foram as únicas que aumentaram no semestre, 24,1%.

No final de junho existiam cerca de 3,9 milhões de clientes do serviço de televisão paga, mais 131 mil do que no mesmo período do ano anterior. O crescimento do serviço deveu-se às ofertas suportadas em fibra ótica (FTTH/B), que registaram mais 286 mil assinantes relativamente ao período homólogo.

O Grupo NOS detinha a quota de assinantes mais elevada (41,9%), seguindo-se a MEO, a Vodafone e a NOWO com quotas de 38,9%, 14,7% e 4,4%, respetivamente. A MEO foi o prestador que, em termos líquidos, mais assinantes captou no primeiro semestre de 2018, em comparação com o mesmo semestre do ano anterior.

No final do primeiro semestre de 2018, de acordo com o Barómetro de Telecomunicações da Marktest (BTM), cerca de 15,4% dos lares com serviço de televisão paga tinham acesso a canais premium, mais 0,4 pontos percentuais face ao primeiro semestre de 2017, enquanto 78,4% dispunham de mais de 100 canais, mais 5,2 pontos percentuais do que no mesmo período de 2017.

No primeiro semestre, o nível de utilização das funcionalidades do serviço aumentou 1,2 pontos percentuais face ao período homólogo, verificando-se que cerca de 74,4% dos assinantes utilizaram pelo menos uma das funcionalidades disponíveis. As gravações automáticas foram o serviço mais usado, seguidas dos canais em alta definição, do guia de programação de TV e das gravações manuais.

O BTM indica ainda que, no primeiro semestre de 2018, 8,1% dos indivíduos com 10 ou mais anos tinham subscrito serviços de vídeo streaming on demand (i.e., Netflix, Fox Play, NPlay ou Amazon Prime Video), mais 3,6 p.p. do que no mesmo período do ano anterior.

No mesmo período, cerca de 84,3% das famílias dispunham do serviço de televisão por subscrição.

Resumo gráfico: Serviço de distribuição de sinais de televisão por subscrição - 1.º semestre de 2018


Consulte o relatório estatístico: