ANACOM apresenta em Sines estudo de qualidade das redes móveis feito no concelho


A ANACOM reuniu, a 15 de junho de 2022, com os autarcas de Sines e responsáveis da AICEP Global Parques e da Administração do Porto de Sines (APS) para apresentar os resultados de um estudo sobre a qualidade de serviço das redes móveishttps://www.anacom.pt/render.jsp?contentId=1722950 da MEO, NOS e Vodafone realizado neste concelho. O estudo, efetuado na ótica da experiência do utilizador, revela que a MEO, a NOS e Vodafone apresentam, respetivamente, níveis de cobertura de 100%, 100% e 99,5%. O rácio de terminação bem-sucedida de chamadas, ou seja, as chamadas que se concretizaram e se concluíram com sucesso, foi de 99,5% para a Vodafone, 97,6% para a NOS e 96,2% para a MEO.

Na reunião, além do Presidente da Câmara Municipal de Sines, Nuno Mascarenhas, estiveram presentes vários membros do executivo camarário, e os presidentes das Juntas de Freguesia de Sines e de Porto Covo, bem como representantes da AICEP Global Parques e da APS, que além de debaterem os resultados do estudo, aproveitaram ainda para esclarecer algumas dúvidas e dar conta das suas preocupações, ao nível da rede móvel, sobretudo pela ausência de cobertura nas praias e nalgumas vias rodoviárias do concelho, e da falta de fibra ótica. Na sessão, a ANACOM, fez ainda um ponto de situação sobre o projeto do Governo de expandir a fibra ótica às áreas brancas que, à semelhança do que acontece em todo o País, também existem nas duas freguesias do concelho de Sines, a cargo de Ilda Matos, Diretora do Gabinete de Comunicação da ANACOM.

O Presidente da ANACOM, João Cadete de Matos, deu nota das medidas em curso que permitirão alterar o panorama das telecomunicações em Portugal no futuro próximo. Por um lado, através do concurso público em preparação pelo Governo para se proceder à instalação de fibra ótica nas áreas brancas, com recurso a capitais públicos, designadamente fundos europeus; e por outro, com a melhoria esperada na cobertura das redes móveis, na sequência das obrigações decorrentes do leilão do 5G.

O Presidente da ANACOM referiu ainda o contributo que o reforço da concorrência pode dar ao nível da redução de preços, que são dos mais caros da União Europeia (UE), uma vez que entrarão no mercado novos operadores, que adquiriram espectro no leilão; e referiu a importância da partilha de infraestruturas e do roaming nacional para que os operadores possam mais facilmente cumprir as obrigações de cobertura a que estão sujeitos.

As soluções de Internet por satélite foram outro dos temas abordados.

Apresentação dos resultados do estudo de qualidade de serviço em Sines

Vitor Rabuge, Diretor-Geral de Supervisão da ANACOM, apresentou aos autarcas o estudo de qualidade de serviço no Concelho de Sines, cujo trabalho de campo decorreu a 7 de abril de 2022. No total foram percorridos cerca de 150 quilómetros e realizadas 1272 chamadas de voz, 360 testes de velocidade de ligação à Internet e cerca de 51 mil registos de sinal rádio.

Neste estudo foram analisados os principais indicadores de qualidade, tendo em conta a perspetiva do utilizador e os serviços objeto de estudo:

  • cobertura das redes – disponibilidade das redes radioelétricas 2G, 3G, 4G e 5G (sinal de rede);
  • serviço de voz – acessibilidade do serviço telefónico móvel;
  • serviços de dados – acesso ao serviço de Internet móvel.

Principais resultados dos testes realizados pela ANACOM

Os resultados mostram que:

  • do total de medidas efetuadas por cada operador, registou-se a indicação de rede existente em 100% medições da MEO e da NOS, e 99,5% da Vodafone;
  • a qualidade da cobertura radioelétrica dos sistemas de comunicações móveis foi classificada em 6 níveis: “Inexistente”, "Muito Má”, “Má”, “Aceitável”, Boa” e “Muito Boa”, em função do nível de sinal recebido no dispositivo móvel. Agregando os registos de qualidade “Inexistente”, "Muito Má” e “Má”; estes perfazem um total de 19,7% na MEO, 18,5% na NOS, e de 24,5% na Vodafone;
  • no serviço de voz, os resultados apurados relativamente à acessibilidade (estabelecimento de chamada com sucesso) foram de 100% para todos os 3 operadores;
  • o rácio de terminação bem-sucedida de chamadas (as que se concretizaram e se concluíram com sucesso) foi de 99,5% para a Vodafone, 97,6% para a NOS e 96,2% para a MEO. Em termos globais, do total de tentativas de chamada de voz resultaram em 0% de chamadas falhadas no seu estabelecimento e 2,2 % de chamadas com quebra durante a conversação;
  • no serviço de dados (banda larga móvel), na globalidade, os resultados revelaram que 90,6% dos testes foram concluídos com sucesso. Identificaram-se algumas falhas em zonas de pior nível de sinal, promovendo baixas velocidades de transferência de dados. As taxas de sucesso de testes NET.medehttps://netmede.pt/ (testes iniciados e concluídos) foram de 93,3% para Vodafone, 91,7% para a MEO e 86,7% para NOS;
  • as velocidades médias de transferência de dados em download e upload foram, respetivamente, de 117 e 14 Mbps na MEO, 59 e 15 Mbps na NOS e, 40 e 8 Mbps na Vodafone, sendo de destacar a existência de grande variação dos valores observados, fortemente dependente dos locais onde foram realizados os testes. Quanto à latência verificaram-se valores entre os 60;30 ms em 94,7% dos testes da Vodafone, em 79,3% dos testes da MEO, e em 45,6% dos testes da NOS.

Na figura seguinte é indicada a classificação do desempenho dos operadores para cada serviço:

Na figura é indicada a classificação do desempenho dos operadores para cada serviço.

Caso já existissem acordos de roaming nacional em Portugal (permitindo que os clientes de qualquer um dos operadores se pudesse conectar à antena de outro operador quando a qualidade de sinal do seu operador não fosse aceitável), teríamos uma cobertura agregada de mais qualidade no Concelho de Sines, como é evidenciado na figura abaixo.

Qualidade de sinal no Município de Sines

Cobertura móvel agregada - contribuição de todos os operadores caso existisse roaming nacional

ANACOM apresenta em Sines estudo de qualidade das redes móveis feito no concelho