Serviços transfronteiriços de entrega de encomendas 2019



Sumário executivo

Em 2019 o número de encomendas aumentou 14,6% e as receitas aumentaram 9,1%

Em 2019, o número de encomendas cursadas nas redes postais dos principais prestadores do serviço de encomendas em Portugal aumentou 14,6%, tendo o volume de negócios aumentado 9,1%. Considerando apenas os prestadores que reportaram informação em 2018 e 2019, a variação foi de 11,2% em termos de tráfego e de 6,8% em termos de receitas.

Encomendas internacionais representavam 32,0% do tráfego e 53,2% do volume de negócios do serviço de entrega de encomendas

Do total de encomendas, 68,0% foram encomendas nacionais e 20,7% tiveram origem noutros países. As encomendas internacionais de saída representaram 11,3%. No total, 32,0% das encomendas foram encomendas internacionais.

Por outro lado, 46,8% do volume de negócios dos serviços de encomendas dos principais prestadores em Portugal foi gerado pelas encomendas nacionais, 16,8% proveio das encomendas internacionais recebidas e 36,4% resultou das encomendas internacionais de saída. Ou seja, as encomendas internacionais representavam 53,2% do volume de negócios deste serviço.

Espaço Económico Europeu foi origem ou destino de 29,7% das encomendas e gerou 40,9% do volume de negócios do serviço

Cerca de 95,4% das encomendas internacionais recebidas em Portugal e 87,7% encomendas internacionais de saída tiveram como origem ou destino países do Espaço Económico Europeu (EEE). O EEE foi origem ou destino de 92,7% das encomendas internacionais e de 29,7% do total de tráfego.

Quanto ao volume de negócios deste serviço, 83,5% do volume de negócios do tráfego internacional de entrada (encomendas internacionais recebidas), e 73,8% do volume de negócios do tráfego internacional de saída proveio de encomendas recebidas de ou enviadas para os países do EEE.

No total, o EEE representou 76,9% do volume de negócios das encomendas internacionais e 40,9% do volume de negócios total deste serviço.

Receita unitária das encomendas foi de 5,18 euros

Em 2019, o volume de negócios médio por objeto foi de 5,18 euros, menos 4,8% do que no ano anterior. A receita unitária das encomendas nacionais foi a mais reduzida (3,57 euros), seguindo-se a receita unitária das encomendas internacionais recebidas (4,19 euros), e das encomendas internacionais de saída (16,66 euros).

A receita unitária do tráfego extra-EEE foi 4,1 e 2,5 vezes superior à receita do tráfego proveniente de ou com destino ao EEE, respetivamente.

A receita unitária das encomendas internacionais recebidas do EEE foi 17% superior à receita unitária das encomendas nacionais.

O número de trabalhadores a tempo inteiro representava 87,6%

Em 2019, entre os trabalhadores associados (não exclusivamente) à prestação de serviços de entregas de encomendas, o número de trabalhadores a tempo inteiro representava 87,6% do total, enquanto os trabalhadores a tempo parcial e temporários representavam 2,6% e 9,8%, respetivamente.

86,8% das empresas subcontratadas esteve envolvida na distribuição de encomendas

Em 2019, 8 prestadores de serviços de entrega de encomendas subcontrataram 680 empresas. A maior parte das empresas subcontratadas esteve envolvida na distribuição (86,8%) e no transporte de encomendas (22,5%).

Infografia - Encomendas transfronteiriças 2019