Grupo de Trabalho para acompanhar a migração da TDT reuniu para debater roteiro nacional de libertação da faixa dos 700Mhz


O grupo de trabalho para acompanhamento da migração da atual rede de televisão digital terrestre (TDT) já teve a sua primeira reunião, na passada sexta-feira, 5 de julho. Este é um grupo destinado a acompanhar o processo de migração, que deve constituir um fórum para troca de informações entre as entidades envolvidas sobre as ações desenvolvidas, possibilitando a discussão de temas, ideias e opiniões para outras ações a desenvolver.

O objetivo desta reunião, presidida por João Cadete de Matos, presidente da ANACOM, foi apresentar ao grupo o roteiro nacional para a libertação da faixa dos 700Mhz, onde funciona atualmente a rede de TDT, e ouvir as opiniões dos presentes sobre o mesmo, bem como esclarecer dúvidas e estabelecer plataformas de colaboração neste processo.

A migração da atual rede de TDT de frequência única - para libertar a faixa dos 700 Mhz para a atribuição de direitos de utilização do espectro para serviços de comunicações móveis - para uma rede multifrequência, será feita mantendo inalteradas a estrutura e tecnologia da rede atual. A ANACOM, em colaboração com a MEO, o operador de rede, tem vindo a planear a operacionalização do processo.

De acordo com o calendário definido, a migração da rede de TDT vai iniciar-se a partir do 4º trimestre de 2019, de modo a que a faixa dos 700 Mhz fique liberta até ao final de maio de 2020.

Estiveram presentes na reunião, além da ANACOM, a Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC), a Associação Nacional de Freguesias (ANAFRE),  a Associação Nacional de Municípios Portugueses (ANMP), os operadores de televisão em sinal aberto, os principais operadores de televisão por subscrição, Direção-Geral do Consumidor, a DECO, a UGC, a ACIST e a Associação Portuguesa de Radiodifusão.

1.ª reunião do grupo de trabalho para acompanhamento da migração da atual rede de televisão digital terrestre (TDT), a 05.07.2019.