7,2 milhões de pessoas em Portugal usam Internet móvel

O serviço móvel de acesso à Internet atingiu os 7,2 milhões de utilizadores efetivos no final do 1.º semestre de 2018, traduzindo uma subida de 6,9% face a igual período do ano anterior, o que corresponde a uma penetração de cerca de 70 por 100 habitantes. O crescimento da utilização destes serviços está associado ao aumento dos utilizadores de Internet no telemóvel (mais 7,5%, face semestre homólogo), à crescente penetração dos smartphones (77% do total de possuidores de telemóvel) e ao desenvolvimento das aplicações móveis.

No semestre em análise, o tráfego de voz móvel atingiu o valor mais elevado contabilizado até ao momento, tendo crescido 7,3% face ao primeiro semestre de 2017, em termos de minutos. O número de minutos de conversação por estação móvel foi, em média, de 200 por mês, mais 11 minutos que em igual período do ano anterior.

A evolução ocorrida no tráfego de voz deve-se, sobretudo, ao crescimento do tráfego para fora da rede (off-net), que cresceu 12,2% em minutos, em termos homólogos, devido à introdução de ofertas em pacote que não apresentam diferenciação tarifária on-net/off-net.

No 1º semestre, a penetração do serviço móvel ascendia a 168 por 100 habitantes. Caso fossem apenas considerados os acessos móveis com utilização efetiva (excluindo M2M), a taxa de penetração em Portugal seria de 119,1.

Quanto ao número de acessos móveis habilitados a utilizar o serviço, atingiu os 17,3 milhões (mais 0,9% face ao 1.º semestre de 2017), sendo que destes, 12,3 milhões (70,9% do total) foram efetivamente utilizados (não inclui comunicações machine-to-machine – M2M). Excluindo também o número de acessos afetos a PC/tablet/pen/router, o número de acessos móveis ascendia a 11,7 milhões. Já o número de possuidores de telemóvel com mais do que um cartão ativo atingiu cerca de 7,1% no primeiro semestre de 2018.

A evolução verificada é explicada pela evolução dos planos pós-pagos e híbridos (+4,7% no último ano), que continuaram a evidenciar uma tendência de crescimento, enquanto que os planos pré-pagos estão em queda (-4,2% no último ano), representando agora 44,8% do total.

A MEO continua a ser o prestador com a quota mais elevada (42,7%) dos acessos móveis ativos com utilização efetiva (menos 0,8 pontos percentuais face ao semestre homólogo). A Vodafone diminuiu a sua quota em 0,7 pontos percentuais para 30,3% e a NOS aumentou 1,3 pontos, para 24,7%.

Resumo gráfico: Serviços móveis - 1.º Semestre de 2018.


Consulte o relatório estatístico: